Seminário Estadual Vida no Trânsito reforça importância de práticas saudáveis

Evento, promovido pela SES-MG, faz parte das ações do Maio Amarelo, que tem como proposta alertar sobre o alto índice de mortes e feridos no trânsito

imagem de destaque
Seminário conta com ampla programação, com representantes do meio acadêmico, de órgãos públicos e sociedade civil
  • ícone de compartilhamento

Os acidentes de trânsito são, hoje, um grave problema em todo o mundo. No Brasil, trazem, inclusive, impactos para o Sistema Único de Saúde (SUS), como mortes prematuras, aumento nos custos assistenciais e sobrecarga dos serviços de saúde.

Para debater sobre como é possível reduzir esses índices e fomentar práticas saudáveis no trânsito, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promove, até quinta-feira (11/5), o Seminário Estadual Vida no Trânsito.

Realizado no auditório do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagens de Minas Gerais (DEER/MG), em Belo Horizonte, o evento conta com a participação de diversas instituições mineiras. O objetivo é promover uma discussão intersetorial, para que a saúde pública possa promover a cultura de paz no trânsito, com enfoque na participação da comunidade. Além disso, há a perspectiva de fomentar a expansão das estratégias do Projeto Vida no Trânsito para as 28 Unidades Regionais de Saúde do estado.

Presente nesta quarta-feira (10/5), primeiro dia do evento, o subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde, Rodrigo Said, reforçou que este seminário é fruto do trabalho do Comitê Estadual Intersetorial do Projeto Vida no Trânsito, reativado no final de 2016 pela SES-MG.

“Durante o Maio Amarelo, estamos intensificando a campanha de mobilização, justamente para chamar a atenção para esse importante problema de dimensão social e também de saúde pública, que são os acidentes de trânsito. A partir dos debates aqui fomentados, a nossa expectativa é qualificar as informações, integrando todos os sistemas de informação que geram dados relacionados a essa temática”, disse.

O subsecretário destacou, ainda, o desafio de aprofundar ações preventivas e, quando necessário, de intervenção, além de práticas regulatórias que possam promover uma segurança no trânsito em todo o estado.

Na sequência, o diretor do DEER/MG, Djaniro da Silva, falou sobre a relevância das parcerias para alcançar a meta das Organizações das Nações Unidas (ONU) que é a de, até 2020, reduzir em 50% o número de mortos e feridos nas vias de trânsito.

Ainda na abertura, a coordenadora do Programa Saúde na Escola pela Educação, Silvana de Campos, enfatizou que a Secretaria de Estado Educação (SEE) também tem participado da pauta sobre trânsito, juntamente com os demais parceiros presentes no seminário, na perspectiva de construir um trânsito mais humanizado. “A nossa proposta é trabalhar com uma mudança de atitude e comportamento, com mais respeito ao outro”, frisou.

A abertura também contou com o subsecretário de Integração de Segurança Pública da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Marcelo Vladimir Corrêa, do subsecretário de Regulação de Transporte da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), Renato Ribeiro, e do coordenador do Grupo de Trabalho da Promoção da Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, Paulo César Pereira.

Vida no Trânsito em Minas Gerais

Nos debates do primeiro dia de encontro, a professora da UFMG, Waleska Caiaffa, juntamente com a gerente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, Lúcia Maria Paixão, falaram sobre o Projeto Vida no Trânsito. Realizado, em um primeiro momento, como projeto piloto em cinco capitais, entre elas Belo Horizonte. Agora, a partir dos resultados de estudos, ele foi ampliado a outros municípios em todo o país com mais de 1 milhão de habitantes. Na capital mineira, para se ter uma ideia, após a sua implantação, o projeto apresentou redução de acidentes no trânsito e da taxa de mortalidade.

“Quando a questão é trânsito, a sensação é a de que estamos sempre um passo atrás, uma vez que as mudanças são constantes. Estar aqui, hoje, discutindo essa questão e ajudando a fomentar políticas públicas, é um grande avanço”, comentou Waleska Caiaffa.

Por sua vez, Lúcia Paixão destacou os impactos na saúde que os acidentes de trânsito trazem, como mortes prematuras, sendo a segunda principal causa de morte externa, aumento dos custos assistenciais, somente em 2014, o SUS gastou 244 milhões de reais para atendimento aos feridos em acidentes de trânsito e sobrecarga dos serviços de saúde, principalmente em internações e atendimentos em urgência e emergência.

A coordenadora de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis da SES-MG, Janaina de Paula, vê como de suma importância a expansão da metodologia do Programa Vida no Trânsito para outros municípios do estado, sendo o Seminário uma relevante ação nesse sentido.

“A expectativa do Comitê Estadual Intersetorial do Projeto Vida no Trânsito é realizar a expansão dessas ações, nesse primeiro momento, pelo menos para os municípios que são sede de Regionais de Saúde. Com o apoio das equipes da SES-MG nas regionais, visamos fomentar e ajudar esses municípios na realização da análise e das condutas necessárias”, apontou.

A SES-MG, juntamente com o Comitê, irá fazer um acompanhamento aproximado com esses municípios e regionais. Já os municípios que não são sede de regional, mas tenham interesse em receber o Projeto Vida no Trânsito também podem entrar em contato com a Coordenação de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis da SES-MG.

Seminário Estadual Vida no Trânsito

O seminário é uma parceria da SES-MG com o Comitê Estadual Intersetorial do Projeto Vida no Trânsito, que tem como integrantes as Secretarias de Estado de Segurança Pública (Sesp), de Transportes e Obras Públicas (Setop), de Cidades e de Integração Regional (Secir) e de Educação (SEE), o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER/MG), o Corpo de Bombeiros Militar (CBMMG), a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Rodoviária Estadual de Minas Gerais.

Durante os dois dias de evento, uma ampla programação, com representantes do meio acadêmico, de órgãos públicos federais, estaduais e municipais, além da sociedade civil, tem por objetivo promover o intercâmbio e a troca de experiências de diversos segmentos, a fim de qualificar as ações e políticas de saúde relacionadas ao tema.

A programação completa do seminário, que vai até quinta-feira (11/5), pode ser acessada neste link.

Para saber mais sobre as ações do Maio Amarelo, acesse www.saude.mg.gov.br/vidanotransito



Últimas