Operação desarticula esquema de sonegação fiscal de empresas do setor de medicamentos

Empresas são suspeitas de aproveitar documentos fiscais para acobertas saídas de mercadorias

imagem de destaque
Os documentos apreendidos, assim como o banco de dados copiados dos computadores das empresas, serão periciados
  • ícone de compartilhamento

Uma força-tarefa do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA), formada pela Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais (SEF/MG), Ministério Público Estadual, por meio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Defesa da Ordem Econômica e Tributária (CAOET), Advocacia-Geral do Estado e Polícia Civil, realizou, nesta quinta-feira (10/8), a operação "Dose Dupla", visando combater sonegação fiscal praticada por empresas do ramo de medicamentos.

Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas cidades mineiras de Betim e Poços de Caldas e também no município de Rio Claro, interior de São Paulo.

Segundo investigações, as empresas, que têm como sócios/proprietários membros de uma mesma família, são suspeitas de criar um esquema para simular operações comerciais entre os estabelecimentos, dificultando as ações de fiscalização.

A estimativa da Receita Estadual é que a fraude tenha gerado um prejuízo aos cofres públicos superior a R$ 20 milhões somente nos dois últimos anos.

Entre as irregularidades já constatadas estão a divergência de dados constantes de DANFEs (documento auxiliar de nota fiscal eletrônica), o uso de notas paralelas e o aproveitamento de mesmos documentos fiscais para acobertar diversas saídas de mercadorias, além do enquadramento tributário indevido de empresas como distribuidoras hospitalares.

Os documentos apreendidos, assim como o banco de dados copiados dos computadores das empresas, serão periciados.

Participaram da operação 29 servidores da SEF/MG, dois promotores de Justiça e 15 policiais civis, entre eles, um delegado do CAOET.



Últimas