Oficina trabalha a consolidação do Plano Estadual de Enfrentamento da Pobreza no Campo

Estratégia tem por finalidade atuar em frentes como o acesso a serviços, benefícios e transferência de renda, acesso à terra e inclusão produtiva

  • ícone de compartilhamento

O Grupo Coordenador da Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo, coordenado pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), encaminhará à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), até junho deste ano, o projeto de lei para a criação do Plano Estadual de Enfrentamento da Pobreza no Campo, que busca garantir políticas públicas para a população do campo, especialmente os segmentos consideráveis vulneráveis, em Minas Gerais.

Justamente por isso, o Grupo Coordenador, que trabalha na construção deste Plano, se reuniu na Cidade Administrativa em uma oficina para identificar os principais problemas que deverão ser enfrentados, além de definir os objetivos a serem alcançados para a concretização do projeto.

"Este momento propiciado pela Oficina de Objetivos é imprescindível para a elaboração do Plano Estadual de Enfretamento da Pobreza no Campo”, destacou o diretor dos Programas de Enfrentamento da Pobreza no Campo da Sedese, Matheus Fernandes Nascimento, durante o evento, realizado na terça-feira (14/3). Segundo ele, o diálogo entre os órgãos parceiros busca promover a discussão intersetorial em relação à temática da pobreza no campo, assegurando a identificação dos problemas e estabelecendo objetivos para cada eixo de atuação para minimizar a pobreza no campo.

A Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo atua no acesso a serviços, benefícios e transferência de renda, acesso à terra, melhoria da infraestrutura e inclusão produtiva. A dinâmica da Oficina realizada reproduziu essas prioridades, dividindo os grupos de trabalho pelas temáticas. Dessa forma, como resultado dos trabalhos, foram construídos cerca de 30 objetivos que comporão o Plano Estadual de Enfrentamento da Pobreza no Campo.

A assessora estratégica de Programas Especiais da Sedese, Aidê Cançado, também reforçou a importância da união de esforços para implementação do Plano Estadual.  “Enfrentar de forma intersetorial, integrada e integral é a melhor maneira que o Governo de Minas Gerais encontrou para fazer frente a um dos desafios mais complexos da atualidade: a pobreza no campo”, pontuou. Aidê reforçou, ainda, a intenção da Sedese de encaminhar o projeto de lei ao Legislativo até o fim do semestre.

Além da Sedese, participaram da Oficina de Objetivos as Secretarias de Estado da Educação (SEE), Planejamento e Gestão (Seplag), Saúde (SES), Desenvolvimento Agrário (Seda), Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste (Sedinor), Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif), além da Fundação João Pinheiro (FJP), Unimontes, Copasa, Epamig e Cemig.

 


Oficina foi realizada, nessa terça-feira (14/3), na Cidade Administrativa / Crédito: Divulgação/Sedese


Ações e avanços

No ano passado, foram pactuadas 17 ações na Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo – Novos Encontros, articuladas pela Sedese em parceria com mais de 14 secretarias de Estado, entidades e órgãos públicos em Minas. A Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo prioriza os Territórios de Desenvolvimento do Alto Jequitinhonha, Médio e Baixo Jequitinhonha, Mucuri, Norte e Vale do Rio Doce.

Ao final de 2016, o Grupo Coordenador intensificou as ações para a elaboração do Plano Estadual, por meio do alinhamento dos conceitos de pobreza no campo, e fez um levantamento das ações desenvolvidas pelos parceiros ao longo do ano.

Desafio

A redução da pobreza no campo é uma das prioridades do Governo do Estado. Para alcançar esse objetivo no período de 2016 a 2027, o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI) traçou estratégias, com atuação coordenada e integrada de diversos setores governamentais e não governamentais. Dessa forma, a Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo tem buscado orientar os diversos programas, projetos e ações estaduais voltadas à população rural, em parceria também com os municípios e com a sociedade civil organizada.

Segundo a Sedese, os órgãos parceiros têm trabalhado para a ampliação e qualificação do acesso desse segmento da população a serviços públicos, benefícios de transferência de renda, à promoção e fortalecimento da segurança alimentar e nutricional, bem como o fomento às oportunidades de geração de renda e de trabalho no meio rural. Além disso, intensificam a busca da melhoria da infraestrutura, como foco na elevação das condições de vida e de produção.



Últimas