Governo detalha protocolos de segurança e anuncia programa de compra de EPIs

Documentos do Minas Consciente foram apresentados em coletiva de imprensa on-line

  • ícone de compartilhamento

Em coletiva virtual realizada nesta terça-feira (28/4), o governador Romeu Zema lançou o programa Protege Minas, com o objetivo de garantir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de Saúde que trabalham na linha frente contra a Covid-19 no estado. Os equipamentos comprados pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) serão repassados às prefeituras a preço de custo, permitindo uma redução de até 50% no valor de alguns produtos.

Na ocasião também foi apresentada a publicação dos protocolos de segurança do programa Minas Consciente, para a retomada gradual e segura das atividades econômicas nas cidades mineiras. O secretário de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Carlos Eduardo Amaral, ressaltou que a expectativa é de que haja uma ação conjunta e coordenada dos municípios. “O objetivo é dar um direcionamento para que os prefeitos saibam os caminhos a serem seguidos”, comentou.

Gil Leonardi / Imprensa MG

Respiradores

Amaral explicou que, a partir do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), é possível acompanhar todos os equipamentos que existem nas instituições. Atualmente, Minas Gerais conta com 4.654 ventiladores pulmonares registrados no SUS. Do total, 2.100 aparelhos estão nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e os demais estão alocados em ambulâncias, clínicas, policlínicas e Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

Até o momento, 128 equipamentos já foram reparados e outros 160 passam por manutenção na Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). Além desse quantitativo, mais 747 aparelhos foram comprados pelo Governo de Minas e a previsão é de que as entregas ocorram nos meses de junho, julho e agosto. 

Avaliação de resultados

De acordo com Carlos Eduardo Amaral, atualmente a SES-MG faz a avaliação do cenário epidemiológico a partir de diferentes níveis de notificação, como número de casos suspeitos, número de diagnósticos da Covid-19 por região, proporção de exames positivos dentro do total, número de óbitos e número de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

“Minas Gerais tem apresentado menos casos e acreditamos que isso se relaciona com o momento adequado em que entramos em isolamento social e, principalmente, com a adesão dos mineiros às recomendações, tanto de proteção individual quanto de isolamento”, afirma Amaral.



Últimas