Governo de Minas Gerais lança programa para inclusão social e produtiva de jovens

Projeto Trampos vai identificar a vocação e assegurar a capacitação e orientação profissional de mais de 1.200 pessoas em áreas de vulnerabilidade social de cinco municípios

imagem de destaque
A Sedese já realizou encontros na Barragem Santa Lúcia, Vila Estrela e Morro do Papagaio, do Morro das Pedras e do Jardim Felicidade
  • ícone de compartilhamento

Minas Gerais deu o pontapé inicial para mais uma iniciativa visando a redução da vulnerabilidade social e inclusão produtiva de jovens entre 15 e 29 anos. Um novo programa leva em conta a vocação dos moradores e o potencial econômico da região onde vivem para traçar ações de capacitação e orientação profissional.

A Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), em parceria com a Fundação de Educação para o Trabalho (Utramig), começou no último dia 26 a traçar um diagnóstico em cinco aglomerados de Belo Horizonte, duas comunidades em Betim, uma em Contagem e outra em Ribeirão das Neves.

O objetivo é mapear as potencialidades socioeconômicas e de emprego e empreendedorismo como forma de inserir esses jovens no mundo do trabalho e favorecer a geração de renda. Serão oferecidas também oficinas de orientação vocacional e haverá a capacitação de mais de mil pessoas.

A iniciativa da Sedese faz parte do Projeto Trampos, uma das linhas de atuação do Programa Juventudes, que busca levantar oportunidades de geração de renda, estudos de oportunidades de inclusão produtiva, orientação profissional e construção de estratégias para inserção dos jovens no mercado de trabalho.

A Sedese já realizou encontros com as comunidades da Barragem Santa Lúcia, Vila Estrela e Morro do Papagaio, do Morro das Pedras e do Jardim Felicidade, em Belo Horizonte, e até o próximo dia 7 estará no Granja de Freitas, Alto Vera Cruz, Taquaril e Aglomerado da Serra, também na capital mineira.

Durante esses eventos são reunidos parceiros locais como o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), escolas, centro de prevenção à criminalidade, parceiros não governamentais, lideranças comunitárias, coletivos e grupos juvenis, como forma de articular as redes locais para favorecer a inclusão produtiva desse segmento.

Já foram realizados encontros também na região do Nova Contagem, em Contagem, e no Florença, em Ribeirão das Neves. Até o dia 2 de fevereiro ainda acontecem os das vilas do Citrolândia e Teresópolis, em Betim. Ainda em parceria com a Utramig serão oferecidas oficinas de orientação profissional, voltadas a trabalhar projetos de vida para esses jovens, com vistas à inclusão no mundo do trabalho.

Capacitação

Feito esse diagnóstico, a partir de abril a Sedese, em parceria com a Foco Opinião e Mercado e com o Instituto Yara Tupinambá, vai oferecer os cursos de tecnologia, produção cultural e mecânica de motos, beneficiando 1.220 jovens em Belo Horizonte, Betim, Contagem e Ribeirão das Neves, além de Passos, no Sul de Minas, que não participará da etapa inicial.

Durante o trabalho de campo, mobilizadores e consultores contratados pela Utramig percorrem as áreas para levantar o potencial econômico da região, entrevistam empreendedores locais formais e informais, bem como buscam escutar os jovens sobre seus anseios e o que realmente necessitam para a sua inclusão no mercado de trabalho.

Crédito: Osvaldo Afonso/Imprensa MG

Durante o encontro em Nova Contagem, no último dia 26, parceiros elogiaram a iniciativa da Sedese.  “Acredito que o Programa Juventudes vai revolucionar nossa perspectiva de política pública. A grande inovação é trazer à tona, como política pública de Estado, o protagonismo juvenil”, ressalta Frederico Mendes de Carvalho, consultor em empreendedorismo do Juventudes, lembrando que o programa possibilita ainda a construção coletiva.

“Achei a proposta muito interessante porque aqui na comunidade há pouca perspectiva de trabalho para o jovem. Eles são muito inteligentes, têm capacidade e interesse de crescer na vida, mas são barrados pelas condições, pela falta de oportunidades”, diz Fabiane Batista Ramos, moradora de Nova Contagem e funcionária há 22 anos de uma ONG local que oferece diversas oficinas para crianças e jovens em áreas como basquete, balé, violão, informática e taekwondo.

“Esse diálogo que está sendo proposto vai nos dar uma possibilidade fantástica de trabalho. Vamos levar essa ideia também aos empreendedores do polo industrial de Contagem para que eles conheçam e possam agregar as suas necessidades ao projeto”, afirma Kátia Bordony, administradora regional da Prefeitura de Contagem, em Várzea da Palma, afirmando que está muito entusiasmada com a iniciativa.

Aidê Cançado, assessora de Programas Especiais da Sedese, ressalta a importância da cooperação de todos os parceiros. “É um programa que está delineado, mas que só ganhará o vigor e consistência necessários com o apoio da comunidade e cooperação com outros órgãos e a interação com projetos. Dirigimos o programa para a área de maior vulnerabilidade social, mas na perspectiva de valorização das relações e dos potenciais desse território”, salienta Aidê, referindo-se à comunidade de Nova Contagem.

“Vamos conhecer a realidade local, levantar os dados, e estamos propondo uma articulação dos serviços, aprimorar a oferta para que se tornem mais atraentes para os jovens”, acrescenta Lauren Fernandes de Siqueira, diretora do Programa Juventudes da Sedese.

Programa Juventudes

Uma das estratégias do Governo de Minas Gerais, proposta no Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI), busca reduzir as desigualdades regionais, visando o desenvolvimento econômico e sustentável. 

Para isso, a Sedese elaborou o Programa Juventudes, visando atender jovens residentes em áreas urbanas que concentram altos índices de vulnerabilidade social, com o objetivo de contribuir para a emancipação, a autonomia e a inclusão social de adolescentes e jovens.



Últimas