Espaço do Conhecimento tem programação especial de férias na capital

Uma das atrações do espaço, integrante do Circuito Liberdade, é o curta-metragem em fulldome sobre a Antártica

  • ícone de compartilhamento

Durante este mês de janeiro, o Espaço do Conhecimento UFMG, integrante do Circuito Liberdade, realiza programação especial de férias, que inclui contação de histórias, sarau infantil, exibição de desenhos animados, oficinas, exposição e exibição de filme inédito sobre a Antártica.

As atividades, gratuitas, seguem até 4 de fevereiro. Apenas os ingressos para o planetário são pagos, com entradas a R$ 6 e R$ 3 (meia).

No planetário, haverá sessões diárias para o público infantil. O terraço astronômico recebe oficinas sobre astronomia. No Jogo do sistema solar, cartas testam o conhecimento dos visitantes sobre os astros que giram em torno do Sol. Já no Teatro dos planetas, os participantes assumem os lugares dos planetas, representando seus movimentos e posições.

Outra atração é a exibição do filme Viagem à Lua, de 1902, que conta a história de um grupo capturado por extraterrestres no nosso satélite natural.

Curta-metragem

Fotografias e vídeos inéditos em 360°, produzidos na Antártica por pesquisadores da UFMG vinculados ao projeto MycoAntar, combinados com animações, podem ser vistos no curta-metragem Perspectivas Austrais, em formato fulldome, que explora os recursos do planetário digital e garante sensação de completa imersão. Produção da equipe do Núcleo Audiovisual do Espaço, o filme expõe as belezas de paisagens extraordinárias e o cotidiano dos cientistas que realizam pesquisas nas terras geladas.

A exibição é parte da exposição Expedição Antártica, cujas sessões acontecem terça, quinta e sábado, às 15h, e quarta, sexta e domingo, às 14h. Os visitantes verão cápsulas sensoriais que mostram as dificuldades de adaptação humana ao continente mais gelado do mundo. Eles também poderão experimentar os obstáculos criados por neve, vento e escuridão. A mostra também revela as belezas do território e suas potencialidades científicas.

Toda a exposição, tema de reportagem publicada na edição 2002 do Boletim UFMG, é explorada de forma divertida. Na atividade Caça aos vestígios na Antártica, a criançada usa luvas, jalecos, pincéis e lupas para encarnar o papel de um arqueólogo em busca de objetos encontrados pelo continente. Na Expedição bioantártica, os pequenos viram biólogos à procura de novas espécies. Na Expedição medicina antártica, eles se tornam médicos e aprendem a medir as mudanças sofridas pelo corpo em um ambiente muito frio.

Outra grande riqueza antártica está nos fungos, foco de muitos pesquisadores brasileiros que vão ao continente, pois podem trazer contribuições ao tratamento de muitas doenças. Na oficina Fantásticos fungos antárticos, as crianças são convidadas a criar personagens inspirados nas suas cores e formas. Na atividade Astronomia Antártica, elas aprendem sobre as constelações que podem ser observadas durante a noite polar e recebem explicações sobre o belo fenômeno da aurora austral.

(Re)contando histórias

Na programação de férias, as crianças vão ouvir e contar as suas histórias preferidas. Na atividade Cosmogonia yorubá através da música, o som será usado para explicar a versão da criação do mundo com base na tradição do povo que viveu onde hoje fica a Nigéria. Em Cosmogonia árabe e outras histórias, o surgimento da Terra será abordado pela perspectiva islâmica. Em Histórias da África de A a Z, serão apresentadas famosas lendas de países do continente africano, como das culturas Banto e Zulu.

Para o Sarau infantil, as crianças podem levar ao Espaço seus livros preferidos e compartilhar histórias.

Corpo e mente

Na oficina Criança também faz yoga!, as crianças aprendem a canalizar impulsos, emoções e sensações físicas de maneira positiva, com base em posturas, mantras e respiração. Nos Jogos teatrais, elas descobrem um pouco sobre o universo do teatro e seus elementos.

A exposição Demasiado humano é palco de uma caça ao tesouro, em que os visitantes, fantasiados e munidos de lupas e mapas, percorrem o museu em busca de pistas.

A atividade Brincando de ser cientista desafia a criançada a descobrir o objeto que está dentro de uma caixa fechada, usando apenas os sentidos e a intuição.

Passado no presente

Na oficina Redes ancestrais, um papel simula as paredes das cavernas, e a tinta guache, as tintas primitivas. A atividade propõe que as crianças imaginem como se comunicar pela arte rupestre.

Em Coletando fósseis: A história de Mary Anning, os participantes são apresentados à exploradora e paleontóloga inglesa que explorou a evolução da vida na Terra a partir de vestígios deixados por fósseis.

Guardiã dos pesadelos

Na mostra de curtas de animação, serão exibidos quatro filmes, entre os quais, Diário de areia, produção de alunos da UFMG que conta a história de Erin, uma adolescente de 15 anos. Guardiã dos pesadelos, a jovem tem a missão de purificar os sonhos ruins que escapam para o mundo humano. A atividade conta com a participação da aluna do curso de Cinema de Animação da UFMG Beatriz Correia, que vai abordar a produção de desenhos.

Mais informações sobre as atividades do Espaço do Conhecimento podem ser obtidas pelo telefone (31) 3409-8350.

O museu está localizado na Praça da Liberdade, 700, Funcionários, em Belo Horizonte/MG.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Espaço do Conhecimento



Últimas