Pronunciamento do governador Fernando Pimentel durante solenidade de entrega de viaturas à Polícia Militar em Sete Lagoas

  • ícone de compartilhamento
download do áudio

Bom dia a todos!

Gostaria de fazer apenas dois registros. O primeiro é de minha alegria de estar em Sete Lagoas. Eu me sinto conterrâneo de vocês, porque minha mãe era daqui, e eu passei muito tempo aqui nas minhas férias de infância. Tenho lembranças afetivas muito queridas da cidade de Sete Lagoas, tenho amigos, parentes, enfim, é uma cidade que diz muito a mim, a minha memória, sempre uma lembrança generosa da cidade e da região.

Mas, mais importante do que isso, é o nosso compromisso com essa região do estado. Sete Lagoas é uma cidade-polo importante economicamente para o desenvolvimento do estado de Minas Gerais, e nós temos procurado dar todo apoio às atividades empresariais da região. O deputado Douglas falou da Iveco, foi importante a nossa intervenção, nós ainda continuamos motivados para que a Iveco recupere a sua capacidade de produção. Nós tivemos uma notícia ruim há pouco tempo, que foi a desativação de uma linha de produção importante da Iveco, mas estamos trabalhando para reativá-la, se a economia brasileira se recuperar e se Deus quiser isso vai acontecer. Não só a Iveco, mas empresas instaladas e outras que têm interesse em se instalar vão ter sempre o apoio do governo do Estado, para a gente continuar fazendo de Sete Lagoas essa cidade pujante que tem sido ao longo da sua história.

O segundo registro é o nosso compromisso com a segurança pública do nosso estado. E a melhor forma de reafirmar esse compromisso é fazê-lo dentro de uma unidade da Polícia Militar de Minas Gerais, ela que é uma das maiores responsáveis, senão a maior, por garantir segurança pública de qualidade para a nossa população. Tenho feito entregas de viaturas em unidades da PM ao longo do Estado inteiro. Já são mais de dez entregas que a gente faz e eu faço questão de estar presente. É muito comum a gente chegar na unidade e o comandante nos saudar dizendo que é a primeira vez que um governador do Estado vem aqui. Eu fico muito espantado com isso. Penso: como é que pode você governar o estado sem dar atenção para essa corporação que é a grande responsável, que está na linha de frente, que é a nossa infantaria de combate contra o crime, contra a criminalidade? É preciso dar apoio, dar atenção, é o que estamos fazendo agora, dar capacidade operacional, capacidade para atuar, porque empenho e dedicação nunca faltou à PM. Temos a melhor Polícia Militar do Brasil, orgulho dos mineiros e das mineiras, e queremos que continue assim. Para continuar assim, é preciso continuar fazendo iisso que nós estamos fazendo, uma tropa preparada, treinada, bem motivada, bem equipada e, aí sim, Minas Gerais pode ficar tranquila porque a segurança estará assegurada, graças a nossa Polícia Militar, graças a nossa Polícia Civil, combativa também, agora também bem equipada, estamos renovando a frota da Polícia Civil também, e incorporando à Polícia Civil novos agentes, como fizemos na Polícia Militar. Incorporamos à Polícia Militar, no começo do ano, 1.000 novos soldados, e até o final do abril nós vamos colocar mais 1.850 soldados no interior inteiro, reforçando mais ainda a troca. Então é com esse compromisso com a segurança pública, e aqui eu empenho a minha palavra, a palavra do meu governo, nunca faltará apoio do governo às forças de segurança, à Polícia Civil, aos agentes prisionais, e aquela que é a corporação fardada que melhor representa seu papel no Brasil, que é a Polícia Militar de Minas Gerais, orgulho dos mineiros e mineiras. Então vamos continuar assim.

O Brasil enfrenta hoje, e todos nós sabemos, a maior e pior crise da sua história. Crise política, crise econômica e institucional. Mas Minas Gerais, nesse cenário, está se saindo melhor do que a maioria dos estados. Por quê?  Porque estamos enfrentando a crise com aquilo que os mineiros sabem fazer melhor: trabalho Nós estamos trabalhando, simplesmente trabalhando. E trabalhando todo dia, com muito esforço com muito afinco, para reduzir o déficit orçamentário sem sacrificar os sagrados direitos do servidor público. Às vezes vêm de outros estados exemplos que nós não queremos seguir. Colapso do serviço público, ou a verdadeira desorganização social, e institucional, mas porquê? Porque vão fazer ajustes contábeis, ajustes orçamentários que atingem os direitos dos servidores públicos. Aí você não consegue prestar um serviço público de qualidade.

Se você atinge o servidor público naquilo que ele tem de mais sagrado, que é o direito dele à previdência, à aposentadoria, a uma carreira digna, como você pode exigir dele que preste serviço à população?

Então, esse tipo de ajuste Minas Gerais não vai fazer. Nós vamos sim fazer todo esforço para equilibrar as nossas contas, mas os servidores públicos são nossos parceiros na busca por esse equilíbrio - e não nossos inimigos, como às vezes eu vejo em algumas postulações e em alguns projetos que chegam de Brasília, eu vejo como se o servidor público fosse tratado como inimigo e não é, não pode ser. Essa é uma visão errada do serviço público brasileiro e não é assim que nós vamos equilibrar nosso estado.

Então, o compromisso com a segurança passa pela valorização dos agentes públicos de segurança, Polícia Civil, agentes prisionais, e especialmente a Polícia Militar de Minas Gerais.

Então eu venho aqui entregar viaturas e reforçar minha ligação efetiva e sentimental com sete lagoas e região, mas também reforçar meu compromisso com a segurança pública de Minas Gerais que está sendo muito bem desempenhada pelos agentes de segurança do estado e eu destaco a polícia militar de minas gerais.

Então fica aqui minha homenagem sincera a esses bravos guerreiros que defendem a ordem e a segurança em Minas Gerais. Que seja sempre assim. Que deus projeta vocês nós contamos com a nossa polícia militar. Viva Minas Gerais e viva o Brasil.